Cuidados médicos e vacinas para visitar Myanmar

por Nuno Madeira
Cuidados médicos e vacinas para quem visita Myanmar

Fora da capital e de Yangon a rede sanitária é precária. É recomendável a prevenção contra a malária.

É também recomendável a subscrição de um seguro de saúde com cobertura neste país e que preveja a possibilidade de evacuação sanitária.

PRECAUÇÕES ESPECIAIS
Febre-Amarela NÃO*
Malária EM ALGUNS LOCAIS
Raiva EM ALGUNS LOCAIS
Tétano SIM
Febre Tifóide SIM
Hepatite A SIM
Difteria SIM

*apenas é exigida vacinação contra febre-amarela a visitantes provenientes de áreas infetadas.

 

PLANO DE SAÚDE

Confirme se o seu seguro de viagem ou seguro de saúde privado abrange todas as eventualidades de saúde em Myanmar – o sistema de saúde do país está longe de ser ideal e embora haja hospitais de padrão internacional em Yangon para grandes incidentes, uma evacuação aérea para os países vizinhos pode ser necessária.

 

CUIDADOS DE SAÚDE

Existem hospitais e clínicas em cidades e centros de saúde regionais em áreas periféricas, embora a qualidade dos cuidados de saúde seja geralmente baixa em Myanmar.

Muitos hospitais carecem de equipamentos e medicamentos básicos, uma situação que não é ajudada pelos altos níveis de corrupção, e as instalações de padrão internacional são escassas e caras.

O seguro de saúde que cobre a evacuação médica é altamente recomendado.

É aconselhável levar um remédio contra pequenos problemas de estômago e outras doenças básicas. Fale sobre isto na sua Consulta do Viajante.

Os farmacêuticos vendem a maioria dos medicamentos sem receita médica, mas pode não ser fácil encontrar o que procura.

 

VACINAS RECOMENDADAS

O comprovativo de vacinação contra a febre-amarela é necessário se tiver visitado um país na zona de febre-amarela (ou seja, África ou América do Sul) nos seis dias antes de entrar em Myanmar.

Não faça auto-medicação, marque uma Consulta do Viajante e fale com o médico sobre a sua condição atual e para onde vai viajar para que seja discutida a melhor maneira de profilaxia.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda as seguintes vacinas para viajantes em Myanmar:

Difteria e Tétano: Reforço único recomendado se não tiver sido realizado nenhum nos 10 anos anteriores.

Hepatite A: Garante quase 100% de proteção até um ano. Um reforço após 12 meses garante pelo menos mais 20 anos de proteção.

Hepatite B: Agora considerada rotina para a maioria das pessoas, é tomada ao longo de seis meses. Existe a possibilidade de tomar esta vacina num espaço temporal mais curto, assim como combinar com a vacinação da Hepatite A.

Sarampo, Papeira e Rubéola: São necessárias duas doses, a menos que tenha tido as doenças. Muitos adultos jovens precisam de um reforço.

Poliomielite: Não há casos relatados de pólio em Myanmar nos últimos anos. Os adultos precisam de apenas um reforço para proteção vitalícia.

Tifoide: Recomendado a menos que sua viagem seja menor que uma semana e apenas para cidades desenvolvidas como Yangon e Mandalay. A vacina oferece cerca de 70% de proteção, dura de dois a três anos e vem como uma única toma. Também existem comprimidos, mas a injeção é geralmente recomendada uma vez que também tem menos efeitos secundários. Se você não teve varicela, informe o seu médico da situação.

Cuidados médicos e vacinas para quem visita Myanmar

COMIDA E BEBIDA

Toda a água deve ser considerada como potencialmente contaminada.

Embora seja altamente recomendável usar água fervida ou esterilizada para beber, escovar os dentes ou fazer gelo, não foi necessário recorrer a isso.

Ao contrário da índia, em Myanmar a água parece em muito melhores condições. Ter cuidados básicos como beber de garrafas seladas e não ingerir água das torneiras foi suficiente para mim.

O leite não é pasteurizado e deve ser fervido. Evite produtos lácteos que possam ter sido feitos a partir de leite não fervido.

Apenas coma carne e peixe bem cozidos. Legumes devem ser cozidos e frutas descascadas.

Há quem evite a comida birmanesa para o jantar, já que o caril é normalmente cozido de manhã e depois deixado em recipientes abertos ao longo do dia.

Os pratos chineses como massas/ noodles, por outro lado, geralmente são preparados na hora.

 

OUTROS RISCOS

As vacinas contra a Encefalite Japonesa, Tuberculose e Hepatite B são por vezes recomendadas.

A malária é considerada um risco em todo o país, exceto em Yangon ou Mandalay.

Consulte um médico ou marque uma Consulta do Viajante para aconselhamento.

Seja como for, tome precauções para evitar picadas de mosquito. O uso de repelentes é altamente recomendado nas zonas do corpo a descoberto, mesmo durante a noite. Isto também é importante para prevenir dengue, uma doença grave que também é transmitida por mosquitos.

 

LISTA DE VERIFICAÇÃO ANTES DA VIAGEM

Acondicione os medicamentos nas suas embalagens originais, rotulados e com as instruções de uso.

Caso tenha alguma condição de saúde especial, leve uma carta assinada e datada do seu médico descrevendo essa condição incluindo os medicamentos que possa estar a tomar, incluindo também os nomes de genéricos.

Se você tiver um problema cardíaco, leve uma cópia do ECG tirada imediatamente antes de viajar.

Levar uma reserva da medicação que possa estar a tomar para eventuais perdas ou roubos.

Faça um seguro de viagem.

Seguro de Viagem IATI com 5% de desconto

O seguro de viagem não é apenas para casos de doença. Inclue outras coberturas importantes para que possas viajar tranquilamente, como por exemplo: repatriação, transporte de familiares, perda, roubo, danos ou atraso da bagagem e responsabilidade civil. Uso a IATI Seguros para viajar mais descansado.

0 comentário

Publicações semelhantes

Deixar um comentário

Envie este artigo a um amigo