Road F35, o deserto por entre glaciares

por Nuno Madeira
Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante

Road F35, ou Kjölur, é a estrada que atravessa o interior da Islândia desde Gullfoss, a sul, até muito perto de Blönduós e Varmahlíð na zona norte da ilha.

São cerca de 200 km de estrada não alcatroada que nos levam por uma viagem que nos aproxima de dois enormes glaciares e que, como muitas das outras estradas da Islândia, só está acessível no verão abrindo normalmente em maio ou início de junho.

Se a vossa viagem incluir esta travessia, é altamente recomendável consultar o site The Icelandic Road and Coastal Administration, bem como ler o meu artigo sobre dicas e regras de como Conduzir na Islândia.

As estradas F não permitem a circulação de veículos de aluguer que não tenham tração às 4 rodas, e é muito fácil perceber a razão tendo em conta alguns rios/riachos que tivemos que atravessar pelo caminho. Praticamente toda a extensão da Road F35 é de cascalho ou terra batida e por isso, é aconselhável redobrar a atenção.

Se optarem antes pela Ring Road (Route 1), então terão que contar praticamente com o dobro dos quilómetros a percorrer embora que em termos de tempo não seja assim tão significativo como os quilómetros.

E há muitas razões para visitar a parte norte da ilha, não que no sul exista muita confusão mas o facto de ser onde se localiza a capital Reykjavik e o Golden Circle, arriscaria dizer que é por onde fica a grande maioria dos cerca de 1 milhão de turistas/ano que visita o país.

A Road F35 começa a poucas centenas de metros depois a cascata Gullfoss, seguindo o seu caminho por entre os glaciares Langjökull e Hofsjökull. Passa depois por um pequeno refúgio, o Kerlingarfjöll Mountain Resort, uns quilómetros mais a norte vão encontrar Hveravellir, uma área geotérmica em atividade e por fim o Lago Blöndulón.

Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante
Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante
Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante

Glaciar Langjökull

O primeiro grande destaque vai para o glaciar Langjökull (à vossa esquerda da estrada) que é o glaciar mais próximo da capital Reykjavic, e poderão ter uma panorâmica geral do glaciar mais ou menos ao quilómetro 40 depois de Gullfoss, junto ao Lago Hvitarvatn, que é atravessado por uma ponte.

Este glaciar está numa posição paralela à direcção da zona vulcânica ativa do país, nordeste a sudoeste. Tem cerca de 50 km de comprimento e 15 a 20 km de largura, existindo um ponto ligeiramente mais estreito entre o lago Hvitarvatn e o glaciar Thristapajokull, a oeste. Este é o segundo maior glaciar da Islândia, depois de Vatnajökull.

O volume deste glaciar é de 195 km3 e de enorme espessura. Vai até 580 metros de profundidade e o ponto mais alto é de aproximadamente 1.450 metros acima do nível do mar. O terreno é rochoso e os pontos gelados são vastos e assombrosos.

Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante

Lago Hvitarvatn

Ainda no mesmo local encontramos o Lago Hvitarvatn, também conhecido como Hvitarlon. É um lago com fonte no rio glaciar Hvitá (Rio Branco) que por sua vez deu o nome ao Lago Hvitarvatn que significa “Lago do Rio Branco”.

ESTE ARTIGO TAMBÉM PODE INTERESSAR  Hengifoss, 128 metros de altura rodeada por basalto

A sua superfície é de cerca de 30 km² e o ponto mais profundo está situado nos 84 metros. A sua cor azul quase brilhante é uma visão magnífica contrastando com toda a área circundante.

Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante

Kerlingarfjöll

Ainda antes de se aproximarem do glaciar Hofsjökull, ao quilómetro 59, conseguirão ter uma visão panorâmica para Kerlingarfjöll, à vossa direita.

Kerlingarfjöll, que significa “Montanhas da Mulher”, trata-se de uma zona montanhosa vulcânica geotérmica ativa onde as cores das encostas riolíticas mudam de cor com a luz. Dizem que é um lugar visualmente envolvente, mas que infelizmente não consegui presenciar devido à neve que ainda existia no local.

Estas montanhas foram criadas por erupções de uma enorme caldeira vulcânica sobre as montanhas e, enquanto a caldeira ainda é considerada ativa, permanece em silêncio há dezenas de milhares de anos.

Esta zona é também muito procurada pelos vários trilhos existentes onde poderão ver de perto as encostas íngremes e a terra fumegando.

Para os mais corajosos existe o trilho AROUND KERLINGARFJOLL, também conhecido como “O Desafio”, em redor a Kerlingarfjöll, que terá uma extensão de 47 km e uma duração aproximada de 3 dias.

Se o vosso tempo está mais controlado, poderão optar então pelo AUSTURFJÖLL  com uma extensão de 7 km, uma duração aproximada de 5 a 6 horas e, embora seja mais curto, é provável que seja o percurso mais exigente por causa dos desníveis durante o percurso.

Se nenhum destes vos atrai ou se o tempo é mesmo curto, ainda têm o HVERDALIR com apenas 3 km de extensão e uma duração aproximada de 2 a 3 horas.

Independentemente da vossa intenção, de apenas uma visita de passagem ou a pernoita no local, no final da estrada F347, onde se aproximam mais de Kerlingarfjöll, vão encontrar o Kerlingarfjöll Mountain Resort, um parque de campismo para tendas e com alguns bungalows. Os preços variam entre os 11 euros para quem vai dormir em saco-cama e os 400 euros para um bungalow até 6 pessoas.

Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante
Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante

Kerlingarfjöll Mountain Resort

Neste local vão encontrar um pequeno restaurante no andar superior do edifício principal e chuveiros no piso térreo.

Não se admirem de terem um aviso à entrada para tirarem o calçado, o que parece expectável tendo em conta o terreno circundante e, até sabe bem andar descalço.

Não esperem também muitas mordomias, porque é um restaurante simples, mas o suficiente para uma sopa quente, por exemplo.

Aqui podem ainda ter acesso a informação sobre os trilhos e como disse antes, pernoitar em tenda ou num dos bungalows de teto triangular a lembrar um pouco algumas habitações da Ilha da Madeira.

Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante
Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante

Glaciar Hofsjökull

Seguindo caminho para norte, e ainda do lado direito, vemos Hofsjökull, o terceiro maior glaciar da Islândia.

ESTE ARTIGO TAMBÉM PODE INTERESSAR  Raio-X a Myanmar

Situado nas terras altas do oeste, cobre cerca de 925 km2 atingindo 1.765 metros de altitude acima do nível do mar.

Este local, ao contrário de Kerlingarfjöll, não é um local recomendado a caminhadas, pelo menos aos menos experientes, porque existem várias e enormes fissuras de gelo e costuma ser bastante ventoso.

Hveravellir

Ao quilómetro 89, do lado esquerdo, não reportado por mim porque não visitei o local, vão encontrar uma espécie de oásis rodeado por uma paisagem desolada.

Hveravellir é um parque geotérmico com fontes termais, fumarolas, buracos de água a borbulhar e uma piscina de água quente.

Existem vários trilhos marcados para que não se danifique a área, e por essa razão deverá respeitar isso mesmo. O maior destaque deverá ser sem dúvida a piscina de água quente. Não é grande mas poderá ter até 10 pessoas ao mesmo tempo a usufruir do banho relaxante.

Este espaço é servido por algumas instalações que incluem alojamento e um café.

Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante
Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante

Lago Blöndulón

Ao quilómetro 120 vão encontrar um dos maiores lagos da Islândia, o lago Blöndulón. Criado do zero em 1984, é um reservatório para alimentar a Estação Hidroelétrica de Blanda.

Blanda é também nome de um dos maiores rios da Islândia e é ele que alimenta este lago.

A sua cor azul impressionante e o horizonte longínquo, quer esteja inteiramente exposto a um céu azul, ou até mesmo coberto de nuvens cinzentas é um local fabuloso onde nos perdemos no horizonte, em toda a nossa volta.

Dizem também que é um dos melhores locais para pescar salmão.

Depois desde local a paisagem muda como que radicalmente e o verde começa a tomar conta da paisagem, aproximando-se muito do tipo de paisagem que encontrei nas highlands da Escócia.

Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante
Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante
Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante
Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante
Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante

Em modo de conclusão, este foi sem dúvida um excelente cartão-de-visita nos primeiros dias de exploração da Islândia.

Consegui ter uma noção do interior cheio de contraste onde poucos se aventuram, e testemunhei paisagens a que as fotos não fazem justiça.

Convêm recordar que esta estrada só está acessível na altura do verão e os seus 200 km demoram normalmente meio-dia a percorrer, mas pode demorar um dia completo dependendo das paragens que forem fazendo ao longo do caminho.

Não se esqueçam de confirmar as condições da mesma antes de se aventurarem. Em condições normais é uma estrada relativamente fácil de conduzir já que a sua grande maioria é plana, mas não se esqueçam que é uma estrada de cascalho e que algumas empresas de aluguer não permitem que seja utilizada.

Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante
Road F35, o deserto por entre glaciares | Diário do Viajante

Localização da Estrada F35 / Road F35

Coordenadas Google Maps: 65.173722, -19.733578 | abrir Google Maps
Coordenadas GPS: 65°10’25.40″N 19°44’0.88″W

0 comentário

Publicações semelhantes

Deixar um comentário

Envie este artigo a um amigo