Explorando o “novo” El Caminito Del Rey

por Nuno Madeira
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante

El Caminito del Rey, ou em inglês, The King’s Little Pathway, é uma passagem ao longo de formações rochosas no desfiladeiro dos Gaitanes (el Defiladero de los Gaitanes) em El Chorro, perto de Ardales, província de Málaga, Espanha.

Foi considerado, antes da remodelação de 2015, como o trilho mais perigoso do mundo, muito procurado para a pratica de escalada e caminhada. Várias pessoas perderam a vida neste desfiladeiro e, após dois acidentes fatais em 1999 e 2000, o governo local decidiu fechar mesmo ambas as entradas. No entanto, até 2013, pelo menos mais quatro pessoas perderam a vida tentando escalar o desfiladeiro.

Após vários anos de reparações o trilho foi reaberto em 2015 sob a alçada da delegação Provincial de Málaga que, durante um ano, controlou o acesso gratuito aos passadiços agora refeitos. Em Abril de 2016 esta gestão passou para as empresas Hermanos Campano, S.L. e Bobastro 2000, que fazem agora toda a gestão e manutenção do trilho.

Agora, um pouco de história…

El Caminito del Rey teve um papel fundamental para a aldeia El Choro, uma vez que facilitava a passagem de trabalhadores entre a pequena barragem no início do canal de água em Gaitanejo, e a central hidroeléctrica em El Choro, ajudando também o desenvolvimento da agricultura.

A construção começou em 1901 e foi inaugurado em 1921 com a travessia do Rei Alfonso XIII. O trilho original era feito em concreto apoiado em vigas de aço, mas com o tempo foi-se deteriorando devido a factores naturais e humanos. Esta zona, de beleza inquestionável, inspirou inúmeros artistas, pintores, escritores, poetas, viajantes, românticos, dramaturgos, cineastas e directores.

Hoje em dia ainda é possível ver alguns desses pedaços (mais na zona sul do trilho).

El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
fonte http://www.caminitodelrey.info

Indicações Gerais…

O comprimento total do percurso é de 7,7 km, divididos em 4,8 km de trilhos florestais e outros 2,9 km em passadiços. Desde Março de 2016 que o percurso é realizado apenas de Norte para Sul. Atenção que se procurarem no Google Maps pela localização do trilho, ele vai indicar-vos sempre a saída a Sul. (ver indicações mais à frente).

A parte mais famosa do trilho é a parte final (Sul), onde será possível ver o que sobrou dos passadiços originais do trilho e onde existe uma ponte suspensa a mais de 100 metros de altura a atravessar o desfiladeiro. O tempo estimado para a travessia completa é de 3 a 4 horas.

O valor da entrada para o Caminito del Rey agora é de 10,00 € se adquirido no site oficial, ou poderá rondar os 16,50 € se for adquirido através de alguma das agências externas (ver links no final do artigo). Uma vez que o percurso não é circular (não termina onde começa), poderá também adquirir um bilhete para o autocarro que o levará depois ao inicio do percurso. Caso se desloque em grupo com dois ou mais carros, poderão deixar um no final e outro que os leve ao inicio. O custo do bilhete de autocarro é de 1,55 € e o percurso é realizado de 30 em 30 minutos, aproximadamente.

ESTE ARTIGO TAMBÉM PODE INTERESSAR  Toledo, uma cidade medieval à beira Tejo
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
fonte http://www.caminitodelrey.info

A parte inicial do trilho pode ser feita por dois locais. A original do trilho que começa junto ao restaurante El Kiosko, e uma antes que é realizada por estradão de areia. Junto ao restaurante existe um pequeno parque de estacionamento ou poderá deixar a viatura junto à estrada que não haverá problema. Uma placa à entrada de um túnel com a indicação de 2,7 km marca o início do percurso e encontrará mais algumas pelo caminho. Conte com este tempo até chegar mesmo à entrada concessionada do caminho por causa da hora marcada nos bilhetes para entrar (30-40 minutos).

Esta parte inicial do trilho é realizada por trilho florestal junto ao reservatório de Gaitanejo. Não é difícil seguir o caminho correcto, no entanto, na dúvida basta seguir com o reservatório de água do seu lado esquerdo.

Chegando à entrada concessionada, é necessário mostrar os bilhetes e terá direito a um capacete, de uso obrigatório em todo o percurso concessionado, e receberá ainda instruções sobre o que pode ou não pode fazer durante todo o trilho (existe também uma casa de banho já que durante todo o percurso não encontrará outra). Espalhados pelo percurso estarão elementos do staff, de capacete preto, que poderão auxiliar em alguma situação que possa surgir.

Importa referir que as condições climatéricas podem fazer com que o trilho seja encerrado. No dia em que realizei o percurso, o vento era bastante forte e chegou-se mesmo a ponderar o encerramento, mas felizmente tal não aconteceu e consegui realizar o percurso sem qualquer problema.

El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante

As entradas são realizadas em grupos, de mais ou menos 50 pessoas. Eu preferi ficar para trás até porque a minha intenção era desfrutar do local e fotografar, de preferência sem muitas pessoas por perto. A minha entrada foi feita pelas 11h00 e cheguei ao final pelas 15h30, com direito a várias paragens pelo caminho (incluindo almoço). Não existe ninguém a controlar o tempo do percurso a não ser que vão numa visita guiada, aí estarão certamente mais limitados.

ESTE ARTIGO TAMBÉM PODE INTERESSAR  Um dia em Segóvia

Não existem muitas sombras ao longo do percurso mas existem vários locais onde poderão descansar. A exigência deste trilho é mínima podendo ser feito por crianças ou até por pessoas mais idosas, desde que não tenham mobilidade reduzida já que isso poderá invalidar a entrada.

El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante

Após a primeira parte de passadiços, é momento para aproveitar toda a beleza que o cenário natural do desfiladeiro dos Gaitanes tem para oferecer. A ausência de mão humana e as paredes rochosas contrastam com o azul-esverdeado do Rio Guadalhorce, nome que vem do árabe e que significa “Rio do Silêncio”. A cor da água deve-se às partículas minerais em suspensão na água.

El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante

Já na segunda parte dos passadiços do Caminito del Rey, é possível observar a linha férrea bem como restos do trilho original, imediatamente abaixo do novo passadiço. As paredes rochosas verticais são imponentes e o único som que vai ouvir (a não ser que esteja no meio de um enorme grupo de pessoas) é o vento a rasgar por entre o desfiladeiro.

El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante
El Caminito Del Rey | Diário do Viajante

Após mais um zig-zag de passadiços, e antes da saída concessionada, terá que fazer a passagem por uma ponte suspensa de metal que atravessa o desfiladeiro. Mesmo não querendo estragar a surpresa (até porque o vídeo não substitui a sensação real), aqui fica o registo dessa travessia.

El Caminito Del Rey | Diário do Viajante

Já quase a chegar ao final do trilho, poderá ver a imponente entrada sul do desfiladeiro.

El Caminito Del Rey | Diário do Viajante

Site Oficial do Caminito del Rey www.caminitodelrey.info

Estes foram alguns dos contactos que me foram indicados aquando da marcação da visita. Alguns dos alojamentos proporcionam também a reserva de bilhetes, mas penso que o mais fácil seja mesmo através do próprio site oficial, ou de uma central de reservas como a Aloratur.

Reservas / Bilhetes/ Visitas Guiadas

Site Oficial para compra de bilhetes reservas.caminitodelrey.info
Aloratur
 www.aloratur.com
Ardales Tur www.ardalestur.es

Alojamentos

Complejo Turístico La Garganta
Hotel Don Pero
Hostal Duran
Casa Domingo
Casitas  La Almona

Localização do El Caminito Del Rey

Coordenadas Google Maps: 36.9143664,-4.7708693 | abrir Google Maps
Coordenadas GPS: 36° 54′ 51.719″ N     4° 46′ 15.129″ W

2 comentários

Publicações semelhantes

2 comentários

luis santos 23 Agosto 2017 - 0:53

muito detalhado qualquer das viagens

Responder
Nuno Madeira 23 Agosto 2017 - 11:41

Obrigado pelo comentário Luís 🙂

Responder

Deixar um comentário

Envie este artigo a um amigo